domingo, 10 de dezembro de 2017

O Azul dos teus Olhos / Nascimento Mortal

Quando o marido e Laurie é assassinado, o pequeno Timmy, de três anos, é o único a ver o rosto do assassino do seu pai. Passados cinco anos, aqueles olhos azuis penetrantes ainda o perseguem nos seus sonhos. Laurie é perseguida por mais do que isso: a ameaça que o assassino fez ao seu filho quando o menio fugiu: "Diz à tua mãe que a seguir ela e a próxima, e depois és tu...".
Agora Laurie tem de enfrentar novamente um homicídio, desta feita na qualidade de produtora de um programa televisivo sobre crimes reais. A séroe vai abrir com o caso de Betsy Powell, por resolver há vinte e um anos. Betsy, uma socialite, foi encontrada asfixiada na sua cama na sequência da festa de finalista da sua filha e três colegas. O caso tinha sdo notícia por todo o país.
Laurie reabre agora o caso com a cooperação dos convidadeos presentes nessa noite. Mas quando os colegas começam as filamgens, torna-se evidente que cada um deles tem os seus segredos... pequenos e grandes.
E há também um para de olhos azuis a observar o desenrolar dos acontecimentos...




A tecnologia avançou de forma extraordinária na Nova York do ano 2016, mas o nascimento dos seres humanos ainda ocorre exactamente como no início dos tempos. A Tenente Eve Dallas, apesar de estar investigando o duplo homicídio de um casal de funcionários de uma importante firma de contabilidade, precisa ajudar a sua melhor amiga Mavis Freestone, grávida de oito meses, a preparar o chá de bebe para o herdeiro que chegará em poucas semanas.
Mas esse não é o único favor que Eve fará a ela. Mavis faz questão que a tenente investigue o desaparecimento de Tandy Willowby, umas das gestantes da usa turma de preparação para o parto. Quando Eve entra no apartamento de Tandy e descobre o presente para o chá de bebe de Mavis sobre a mesa, embrulhado e intocado, junto da bolsa da maternidade já pronta, seu instinto aponta para um possível sequestro...


Sem comentários:

Enviar um comentário

"A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é." Victor Hugo
Um comentário seu é sempre bem recebido, aquece a minha alma com um sorriso...
Obrigado,

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...