sábado, 26 de julho de 2014

Leitura em dia!




Só posso dizer que as férias estão a ser tão produtivas quanto se esperava!! pelo menos no que toca a leitura e a descanso!!!! ...








Peter e Rebecca Harris, na casa dos quarenta e a viver em Nanhattan, aproximam-se do apogeu das suas carreiras em arte: ele, negociante; ela, editora numa revista de especialidade. Com um moderno e espaçoso apartamento, uma filha adulta a estudar na Universidade de Boston e amigos inteligentes e animados, levam um invejável estilo de vida urbano e contemporâneo e parecem ter todas as razões para serem felizes. Mas é então que o irmão de Rebecca surge em cena. Extremamente parecido com ela, mas muito mais novo, Ethan (conhecido na família  como Mizzy, "O Erro") resolve visitá-los. Na sua presença, Peter começa a pôr em causa os artistas, o trabalho destes, a sua carreira - todo o mundo que construíra com tanto cuidado.



O casamento de Cressida Forrest ia ser perfeito. Com o seu aspeto esbelto e inocente, Cressida daria a mais bela das noivas, e Oliver Bergin, um jovem médico em ascensão, o noivo ideal. Com tudo preparado para o seu dia de sonho, Cressida deitou-se serena e feliz. Mas, na manhã seguinte, tinha fugido – sem causa aparente e sem deixar rasto. E o pesadelo começou…
Chocadas, preocupadas e atónitas, as duas famílias enfrentam um longo e doloroso dia de revelações, à medida que uma complexa e frágil teia de segredos sexuais, conjugais e financeiros vão sendo conhecidos como consequência do desaparecimento de Cressida. Por que razão abandonou ela tudo e todos? Para onde foi e o que teria a esconder? E se não era a pessoa perfeita que todos julgavam, então quem era?


Cathy é uma profissional de acolhimento de crianças em risco com muitos anos de prática de lidar com crianças em risco. Por isso, quando a pequena Alice, de quatro anos, chega a sua casa, Cathy apercebe-se com estranheza do quanto, apesar de confusa e vulnerável, ela é bonita e parece bem cuidada. À medida que os dias passam, torna-se evidente que tudo o que Alice mais deseja é regressar junto dos Avós maternos e da Mãe. Perante a decisão do tribunal, que declara esta criança como um caso de adoção, Cathy envolve-se inevitavelmente numa luta desesperada para ajudar a pequena Alice.





Dezanove foram as vezes que Colin se apaixonou. Das dezanove vezes, a rapariga chamava-e Katherine. Não Katie ou Kat, Kittie ou Cathy. E das dezanove vezes, levou com os pés. Desde que tinha idade suficiente para se sentir atraído por uma rapariga, Colin, ex-menino prodígio, talvez génio matemático, doido por anagramas, saiu com dezanove Katherines. E todas o deixaram. Então ele decide iventar um teorema que prevê o resultado de qualquer relacionamento amoroso. E evitar, se possível, ter o coração novamente destroçado. Tudo isso, no curso de um Verão glorioso passado com o seu amigo Hassan, a descobrir novos lugares, pessoas estranhas de todas as idades e raparigas especiais que têm a vantagem de não se chamarem Katherine...


3 comentários:

  1. Bem, grandes leituras!
    Também acabei de ler esse livro da cathy glass. Foi dos que mais me revoltou...

    Bjs

    Mónica

    ResponderEliminar
  2. Pois é!! As férias dão imenso tempo para lêr o que há muito estava à espera! bjs

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

"A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é." Victor Hugo
Um comentário seu é sempre bem recebido, aquece a minha alma com um sorriso...
Obrigado,

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...