terça-feira, 2 de outubro de 2012

Ao Anoitecer


Ann Lord está a morrer de cancro. Enquanto está deitada na sua cama, num estado de semiconsciência, recebendo a visita de amigos e familiares, o leitor entra no indistinto mundo dos seus sonhos, recordações e mágoas.

Apesar de ter tido três maridos e cinco filhos, a memória de Ann continua a fazê-la regressar a um único fim-de-semana e a um romance inesquecível, mas demasiado breve. À medida que perde a noção da realidade que a rodeia, Ann recua quarenta anos nas suas memórias e prende-se insistentemente à recordação do dia de casamento da sua amiga Lila. Nesse dia, conhece, apaixona-se e perde o único homem que alguma vez amou e vê ainda a felicidade do seu grupo de amigos ser desfeita por uma tragédia.

Sem comentários:

Enviar um comentário

"A suprema felicidade da vida é a convicção de ser amado por aquilo que você é, ou melhor, apesar daquilo que você é." Victor Hugo
Um comentário seu é sempre bem recebido, aquece a minha alma com um sorriso...
Obrigado,

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...